CONVERSÃO DO FÓSFORO

0

             O fósforo está expresso na análise de solo em mg.dm3 na forma de P, diferindo dos fertilizantes fosfatos que é expresso em P2O5. Com isso, para a recomendação de um fertilizante fosfatado é necessário realizar a conversão do P para P2O5, cuja tal é possibilitada seguindo os passos descritos abaixo.

Para melhor entendimento, vamos a um exercício:

Na análise de solo, o fósforo na camada de 00–20 cm, expressou P = 16,40 mg.dm3 (Mehlich-I).

Se deseja elevar o nível de P deste solo para 20 mg.dm3, deve-se calcular o déficit de P para atingir este nível.

Logo, 20 mg.dm3 – 16,40 mg.dm3

DÉFICIT= 3,6 mg.dm3

      1º PASSO

     Sabemos que para converter mg.dm3 para kg.ha-1, basta multiplicar por 2.

     Então, 3,6 mg.dm3 de P x 2 = 7,2 kg de P.ha-1

      2º PASSO

     Transformar P em P2O5.

     Para isso, deve-se usar a massa atômica de cada elemento (tabela periódica), arredondando estes.

PORTANTO, P x 2,29 = P2O5

LOGO: 7,2 Kg de P x 2,29 = 16,48 Kg.ha-1 de P2O5

       Sendo assim, este solo precisa receber um fertilizante fosfatado que forneça os 16,48 Kg.ha-1 de P2O5.

     Consideração: As plantas aproveitam em média de 20 – 25% do fósforo aplicado no solo. O restante é fixado dependendo de cada tipo de solo, cultura e manejo.

Como 20% do P2O5 será assimilável pela planta, a necessidade real será:

Se usar um fertilizante fosfatado que apresente 43% de P2O5 a dosagem a ser utilizada será:

O processo inverso (P2O5 para P), esta descrito abaixo, cujo tal, utiliza-se a massa atômica de cada elemento, arredondando esta. 

     Então, 16,48 kg de P2O5, multiplica-se pelo fator de conversão 0,4366, chegando ao déficit de P, para esta situação acima descrita na análise de solo em quilos.

LOGO: 16,48kg de P2O5 x 0,4366 = 7,2kg de P.

     Ou seja, no inicio do exercício, descobriu-se que o déficit para elevar o teor de fósforo no solo para 20 mg.dm3 é de 7,2 kg de P. Valor encontrado na prova real da conversão de P2O5  para P.

     Todavia, vale ressaltar que o intuito do conteúdo acima descrito é principalmente para o fator conversão de P para P2O5 e não propriamente recomendação de fertilizante para respectiva área, tendo em vista que para isso, inúmeros fatores devem ser elencados anteriormente a qualquer recomendação numérica de P, que dentre tais destacam-se: histórico de adubação fosfatada e ainda outro fator que esta em pauta no cenário nacional é a transformação do P não disponível para P orgânico, que é prontamente disponível para as culturas, isso se dá através do uso de micorrizas, permitindo que a planta explore melhor suas reservas.

 Luciano Mato Grosso

Compartilhar

Sobre o autor

O agroreporter é um blog sobre o Agro no Brasil e no mundo, trazendo notícias relevantes, agenda com os principais eventos e cursos do setor e conteúdos inéditos para o leitor acompanhar. Fique por dentro! Compartilhe e comente nosso conteúdo nas redes sociais.

Deixe uma resposta